Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Regularização de Imóveis
Início do conteúdo da página
Assédio Moral

Assédio Moral no ambiente de trabalho

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
  • Escrito por Leandro Lopes Bastos
  • Criado: Segunda, 13 de Maio de 2019, 17h26
  • Publicado: Segunda, 13 de Maio de 2019, 17h26
  • Última atualização em Quinta, 26 de Novembro de 2020, 15h28

Humilhações, abusos, cobranças excessivas, brincadeiras que passam dos limites no ambiente de trabalho são sinais de assédio moral. Situações como essas podem prejudicar empregados, colegas de trabalho e até mesmo chefes!

Assédio Moral foi a denúncia mais realizada por empregados durante os últimos 10 anos, segundo levantamento do Tribunal Superior do Trabalho. Cerca de 7 em cada 10 empresas receberam denúncias da prática de assédio moral no ambiente de trabalho.

O Assédio Moral no ambiente de trabalho pode significar, na maioria dos casos, a ruptura do vínculo empregatício, além de levar a doenças, entre elas, a depressão e até ao suicídio.

O assédio também destrói a autoestima do trabalhador, causa insegurança, prejudica as relações sociais e afetivas e por isso deve ser combatido em todas as suas formas.

Para o professor e historiador Leandro Karnal o assédio moral “é um veneno lento que se insere dentro das relações e faz com que alguém passe a se considerar menosprezado”, destacando que o mesmo é terrível em todos os ambientes de trabalho. Observa o ilustre professor que o assédio moral cria um clima ruim, não apenas entre superiores e subordinados, mas também entre pessoas da mesma base horizontal; cria um clima de produção deficiente, pois a pessoa assediada passa a se preocupar mais com o ataque das pessoas do que com a própria produtividade.

O assédio moral não pode ser confundido com arbitrariedades cometidas pelo empregador. Para configurar assédio moral é necessário que o evento ocorra de forma sistemática, repetitiva, com direcionalidade a uma pessoa ou grupo de pessoas e com determinada intenção, seja para desmoralizar, desestabilizar ou mesmo levar a pessoa a um pedido de demissão.

No Brasil ainda não existe uma lei para punir os agressores, porém no mês de março do corrente ano (2019) a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei nº 4.742-B de 2001, que altera o Código Penal para tipificar o assédio moral.

O texto seguiu para apreciação do Senado. Fazemos voto para que o projeto seja aprovado e o combate ao assédio moral se torne mais efetivo, garantindo a todos um ambiente de trabalho mais saudável, com respeito ao valor social do trabalho e acima de tudo preservando a dignidade do trabalhador.

registrado em:
Fim do conteúdo da página